depois de nós

Ele ouvia as bandas ridículas que eu gostava, tínhamos os mesmos medos, os mesmos talentos, a mesma fuga sem saída. Só ele se comovia quando eu me emocionava. o mesmo time, o mesmo bairro, tão iguais como o português e a matemática.
A solidão dele me fazia companhia. E eu me sinto tão sozinha em meio a essas músicas velhas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s