Namoradeiro

Parecia uma fotografia
debruçado na janela,
pendurado na parede,
perdido no tempo.

Ele era o Monaliso
da tela sem porta,
sem tinta, sem saída.
Debruçado sobre os óculos

sem saber se a chuva vinha,
se o alívio vinha, se o bonde vinha.
Num inquietamento tão quieto,

que se houvesse janela
era ele o namoradeiro
do meu retrato pendurado.

.

Anúncios

5 comentários sobre “Namoradeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s