julho

Vai ver que eu não sei mesmo.
escrever. se não for você.
meu vício, meu ócio, seu sangue, meu ódio.
minha cartela de dipyrona.
sua dor de cabeça.

preciso do que não quero.
se teimo em querer.
ou em precisar.
vai saber…

teimo até pra entender.

.

metafísica

tenho preguiça das pessoas. feito pinguins em geladeiras. mórbidas, frias, enfeites que não vivem. frágeis vidros vagabundos. em vitrines de liquidação.

tenho medo do óbvio, do discreto, da caneta na mão. receituários tarja preta, contas de padaria, traqueostomia improvisada.

Entre dedos, preguiças, medos e anéis,
o mundo gira, com os vivos, e com os mortos. fazendo horas. drogas. doces. de padarias.

as pessoas tontas.
continuam miseravelmente, suportando simplesmente
o hábito de existir.

.

antes das 6

Não quero dormir. nem pensar… comer, talvez. doer, morrer, sangrar, sorrir. tarde de mais. Ninguém faz tanta coisa antes das 6.
Enquanto Seu Lobo não vem.
Quero pijama, café, e sono. Quero mais.
Enquanto o sol não vem.
Ainda faço frio, café e saudade. Pego meu Almodóvar e desisto do sol.
Enquanto Agosto não vem.

som.jpg

.

motivo

ah…
porque sim!
porque eu sou teimosa.
e ele é lindo.

porque ele não me deixa.
nem me quer.

meu.
pote te mm’s.

meu.
pedaço de poesia.

porque ele acorda de bom humor.
e me vê.
como ninguém sente.

ah..
porque eu sou teimosa.
e ele é lindo.

.

eu amo.

uns bares sujos.
um menino roto.
uma poesia cafona.
uns livros infames.
um chinelo velho.
uma tela suja de nanquim.
uns filmes insuportáveis.
um amigo vulgar.
uma calcinha brochante.

.

cardápio de mim.

Adoro o jeito que ele me olha. o garçom. por sobre os óculos. ressabiado. Chama-me de “menininha”. Enquanto observa desconfiado, com aquele sorriso cretino, meio de lado. como… se duvidasse, intrigado, curioso.
“será que é vadia?”. sapatão, cruzerence, puta, gringa, artista, detetive.

Duvida.
do meu jeito de criança, e da minha saia curta.
ri pra mim, sem esconder que pensa: “ah pequenina biscate.”

fico rindo do que ele pensa…
enquanto eu subo as escadas,
de mãos dadas com qualquer amigo gay.

.

eu sou o cigarro dele,
preso entre os dentes.
me traga. apaga. amassa.
esquece.
depois sorri.
pra me fazer sentir.
cinza.
saudade da boca.