Os dias frios me doem.

Meu frágil gosto pelas bebidas mais quentes, os livros mais infamames, as loucuras mais doces, os doces mais frágeis.

e me doem tanto… as músicas mais fortes, os dias mais longos, o ônibus lotado, as crianças na calçada. a fila da padaria. o que eu penso. aonde eu morro. quanto tempo faz?
A blusa do meu time, suja. as poesias, borradas. os livros, inúteis. o maleta, fechado. a calça, arrastando. o termômetro, 15º.

A sua rua. o meu café. seu baralho. minha velhice.
o vento gelado na nuca. todas aquelas músicas. e lugares. e filmes… e filas de padaria.
eu já não sei… se sinto o frio.

Anúncios

2 comentários sobre “Os dias frios me doem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s