BR 381

Fechar os olhos, pra voar… esquecer de olhar. sem perceber, por querer brincar de pintar o nariz. que eu só voava, porque nunca houve chão. sem chão, eu ajoelho, e dói. Quanto mais me dói, mais ele sorri. porque ele se alimenta de mim. e eu, não me alimento mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s