A cor do amor é branco.
cheio de veias, e de medo.
sempre cheio!
o amor não é do meio,
não é do meio termo.

o amor é de extremos.
derrama, multiplica, complica!
arde, alivia.
complica complica complica!

o amor me olha
como quem quer ficar ali
pra sempre.
antes de sair correndo.

o amor tem uma covinha,
do lado esquerdo do rosto.
E um monte de pintinhas,
que ouvem música velha.
distraem-se quando chamo.

esquecem do resto, do real, do digital
do rosto no retrato
na parede, o céu pendurado.
fica pesado, nas costas do amor.

o amor se queimou.
é que ele não sabe, tonto!
apagar-se aos poucos.

Anúncios

5 comentários sobre “

  1. já diria adriana calcanhoto
    “remoto controle”
    o amor sempre sai correndo!!!
    coisa mais sem graça!
    a gente alivia e complica
    concordo..
    sempre complica!
    q droga hein!!

    adorei esse pequeno texto sobre o amor!!
    descomplicado e bonitinho!!
    bjãoooo!!!

  2. Fala sobre um amor que soa em mim como uma mistura entre uma paixão adolescente e uma amor cansado de um velho casal – ou novo casal também.

    Abraços, flores e estrelas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s