pulsa.

Esqueci a cor dos analgésicos. esqueci dos discos, livros, letras, infâmias e baralhos. Mas ainda pulsa, e pulsa. Feito o que é vida.

Um telefonema. sem hora. fora da hora. na hora.
Aniversário, velas, palmas, luzes, cerveja, olhos, braços, abraços, mentiras, sinceras, palmas, luzes, restos, retalhos, rasgos, confetes, pó.
a voz, que não sabe muito da vida, e sabe tudo. só voz. antes de apagar as velas.
poucas velas. todas elas. todos anos. muitos ciclos. aonde termina é aonde começa.

A garganta dói, o chá esfria, e perfuma, e lembra, da dor, da garganta, do início, do fim. Meio nunca fui. Nunca sou. ainda pulsa. e pulsa.
enquanto houver vida, e chá, e velas. e ciclos.

Anúncios

3 comentários sobre “pulsa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s