Conversa de botequim

Enquanto não me farto,
do lirismo cometido
gasto minha insônia
com cerveja quente e coração partido.

A crise, a conta, o caos.
Os republicanos e os Democratas.
o barraco no senado,
o Bandeira na cabeceira,
nada importa depois das três
doses, horas, amigas bêbadas.
sempre às três.
em ponto!

Nem amor perdido,
nem partido, nem coração.
nem os 3,85 contos que paguei
pela cerveja quente.

se um dia ele falasse
se ao menos ele soubesse
se Bandeira me bebesse.

Ah… quem somos nós depois
das três.
pungentes e líricas e bêbedas.

mas ninguém sabe, mas ele sabe, mas Bandeira não bebe.

Anúncios

2 comentários sobre “Conversa de botequim

  1. Perdi meu amor
    dentro dse um copo de vodka.
    na ilusão de bebê-lo com voracidade, me perdi
    e deixei escapar.
    Tudo por causa de um gole.

    Ahh se o tivesse mantido entre os meus dentes…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s